sábado, 12 de junho de 2010

Luís Vaz de Camões

O artigo em destaque hoje na Wikipédia é sobre Camões. O que posso dizer? Ele era um cara legal, escreveu um ótimo livro que eu recomendo, Os Lusíadas. Agradeça a ele também por a língua portuguesa ser mais simples e compreensível hoje. Acredite, era pior.

Para saber mais fatos leiam o artigo que transcrevo em parte aqui (ou seja, copiei da página inicial da Wikipédia):


Camões na gruta de Macau, em gravura de Desenne, 1817.
Luís Vaz de Camões (Lisboa?, c. 1524 — Lisboa, 10 de junho de 1580) foi um célebre poeta de Portugal, considerado uma das maiores figuras da literatura em língua portuguesa e um dos grandes poetas do Ocidente.
Pouco se tem certeza sobre sua vida. Frequentou a corte de Dom João III, iniciou sua carreira como poeta lírico e se envolveu, como narra a tradição, em amores com damas da nobreza e possivelmente plebeias, além de levar uma vida boêmia e turbulenta. Diz-se que por conta de um amor frustrado se autoexilou na África, alistado como militar, onde perdeu um olho em batalha. Voltando a Portugal, feriu um servo do Paço e foi preso. Perdoado, partiu para o Oriente. Passando lá vários anos, enfrentou uma série de adversidades, foi preso várias vezes, combateu bravamente ao lado das forças portuguesas e escreveu a sua obra mais conhecida, a epopeia nacionalista Os Lusíadas. (leia mais...)

Sempre passo em frente ao Real Gabinete Português de Leitura (Rua Luís de Camões, nº 30, Centro - Rio de Janeiro) para ir à faculdade e me deparo com Camões e sua expressão marota.


Créditos da imagem.

Um comentário:

Luiza - Myrvirian Gwynedd disse...

só vc > camões maroto hauihauiahuiahuahaiuh

cara, falando em língua portuguesa bizarra, eu ouvi coisas em mirandês esse dia.
meio galaico, meio português, meio espanhol, meio qualquer coisa mto estranha.